Crítica | Eu Fico Loko

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Recentemente um fato curioso vem ocorrendo dentro dos meios de comunicação: a transição de astros das plataformas digitais, principalmente do YouTube, para o cinema. Ainda é cedo para apontarmos que tal situação será uma tendência daqui pra frente no meio cinematográfico brasileiro, porém, é fato que filmes com a participação de youtubers certamente serão produzidos cada vez mais.

Eu Fico Loko, longa-metragem de mesmo nome do famoso canal de Christian Figueiredo é um dos grandes exemplos dessa nova tendência. O filme traz a biografia de Christian, narrando boa parte de sua adolescência. Talvez uma das perguntas que boa parte do público fará em decorrência da produção deste filme é, “O que têm de tão especial na vida de um garoto de 22 anos de idade a ponto dela virar um filme autobiográfico?”. A resposta é bem fácil, “Nada”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

E surpreendentemente nisso que mora um dos grandes méritos do filme. “Nada” não significa que a história de Christian não seja relevante, mas sim que sua história – pelo menos através do filme – pode ser a história de qualquer outro adolescente enfrentando seus respectivos problemas que aparecem nessa fase da vida.

Apesar de algumas inserções do próprio Christian Figueiredo no filme, através da narração e de uma quebra da quarta parede, o telespectador acaba esquecendo que ele está vendo um filme sobre o Christian, e passa a enxergar um filme sobre um adolescente qualquer. Contudo, essa recepção só é gerada por conta do belo trabalho realizado por Bruno Garotti, diretor do filme, que conseguiu captar a essência da história de Christian Figueiredo e aplicá-la em um filme que se propõe muito mais do que apenas transpassar uma biografia de um astro para as telas.

Eu Fico Loko ainda por cima tem um roteiro bem construído, sem maiores defeitos. Muito por conta de ser baseado em um livro escrito pelo próprio Christian, em que nele são narrados episódios de sua vida. E não só o roteiro, como outras questões mais técnicas, também não apontam grandes problemas. Muitos dos atores fizeram seu primeiro longa-metragem, então há sim uma certa discrepância nas atuações, mas nada que atrapalhe. Já Filipe Bragança, o ator que interpreta Christian, conseguiu captar bem a natureza do personagem.

Apesar de ser um filme que pode ser visto por todas as pessoas, Eu Fico Loko tem um público-alvo bem definido, adolescentes. Dos quais, sem dúvidas, irão se identificar com o filme devido a aproximação que os personagens e as situações têm para com o universo adolescente.

Em suma, um filme que surpreende por ser simples, objetivo e espontâneo. Uma comédia adolescente, que usa apenas como pano de fundo a história de um dos youtubers mais famosos do Brasil.

Christian Figueiredo fala sobre estreia no cinema em entrevista exclusiva

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio