Publicidade

Diversão Macabra

Crítica – A Família Addams 2: Pé na Estrada

Continuação da animação de 2019 é simpática e engraçadinha, porém certamente não será para todos

Publicado por Aléxis Perri

27/10/2021 16:25

De acordo com o prestigiado jornal inglês The Daily Telegraph, os Addams “são uma das famílias mais icônicas da história americana, junto com os Kennedys”.

Deu para sentir o peso do negócio?!

Para aqueles que desconhecem, a Família Addams é uma casa fictícia criada pelo cartunista americano Charles Addams em 1938. O clã incluía originalmente (usando os nomes atribuídos a eles para a série de televisão de 1964) Gomez e Mortícia Addams, seus filhos Wandinha e Feioso, parentes próximos Tio Fester e Vovó Addams, seu mordomo Tropeço e o faz-tudo Coisa, além de algumas aparições do cabeludo Primo Itt.

Juntos representam um carismático bando de “desajustados”, que são vistos como uma inspiração para a subcultura gótica e sua moda, profundamente influentes nos quadrinhos, cinema e televisão americanos. Definitivamente não é pouca coisa!

Cada geração teve sua encarnação desta família. Na década de 60, tivemos a bem-sucedida série em preto e branco; mais para frente no início dos anos 90, ganhamos dois longas-metragens dirigidos por Barry Sonnenfeld, estrelando Raul Julia (1940 – 1994), Anjelica Huston e Christopher Lloyd.

Agora, em tempos recentes optaram por reviver essa trupe em forma de animação. Deste modo, tivemos A Família Addams (2019), dirigido pelo duo Conrad Vernon e Greg Tiernan, que retornam dois anos depois para esta sequência intitulada A Família Addams 2: Pé na Estrada.

Neste filme totalmente novo, encontramos Morticia e Gomez perturbados porque seus filhos estão crescendo, pulando jantares de família e totalmente focados em qualquer outra coisa que os mantenha distantes de sua linha familiar. Para recuperar o vínculo, eles decidem enfiar Wandinha, Feioso, Tio Fester e o resto do bando em seu furgão-trailer mal-assombrado e pegar a estrada para “curtir” umas férias familiares miseráveis. Estas aventuras pela América, os levarão para fora de seu elemento, em confrontos hilariantes ao lado do popular Primo Itt, bem como muitos outros novos personagens excêntricos. O que poderia dar errado nessa viagem?

Para toda a família (diferentona)!

Não é preciso ir muito longe para afirmar que A Família Addams conquistou sua legião de fãs pelo mundo. Geralmente, estes seguidores costumam seguir uma linha mais alternativa, que se sente muita a vontade com aquilo que é diferente da norma, que não se preocupa com o conceito de encaixar com a maioria, sabe?!

Resumindo: ganhou os corações dos diferentões!

Para estes, dois terços de A Família Addams 2: Pé na Estrada será um prato cheio, pois a animação da dobradinha Vernon/Tiernan entrega visuais cheios de vida, que contrastam com as situações absurdas que só uma família como esta consegue vivenciar.

Aqui, destacam-se os personagens Wandinha, Tropeço e o descolado Primo Itt. Ela, que encanta pela secura e ironia 100% presente em seu tom de voz; enquanto Tropeço mostra que seus ares cadavéricos podem ser despertos através da alma de uma boa canção.

Observação: a cena de Wandinha e Tropeço em um bar/restaurante à beira da estrada que se encontra repleto de motociclistas barbados osso duro de roer é, provavelmente, o momento mais deliciosamente cômico dessa animação que chega as salas de cinema pelo país.

Peninha que a resolução dessa historinha ficou um tanto sem graça, nem mesmo comovente. Ainda assim, em sua maior parte podemos dizer que A Família Addams 2: Pé na Estrada saiu-se bem na fita!

Sobre crescer

Existe uma proposta da animação em comentar sobre adolescentes que estão naquela fase de transição: saindo da infância, querendo entrar aos poucos na vida adulta.

Especialmente Wandinha, que não consegue mais se identificar com o próprio clã que a criou. Sente-se um peixe fora d’água. Nesse momento, começa a se questionar se realmente pertence àquele lugar.

Como tantos filmes muito populares, principalmente na década de 80 para cá, percebemos a prática de desenvolver os chamados ‘road movies’ (filmes de estrada), onde uma ou mais pessoas escolhem fazer uma grande e longa viagem para entrar em acordo com alguma situação que esteja pendente na vida pessoal, ou mesmo em algo que afeta todo um coletivo.

A Família Addams 2: Pé na Estrada é simples nessa proposta de divertir e entreter, contudo, sabemos que esta família não serve para todo mundo.

Publicidade