Mais do que você gosta.

Publicidade

Que Friiiooo!!!

Contra o Gelo não passa de um filme de sobrevivência

Leia a crítica do filme de drama histórico da Netflix estrelado por Nikolaj Coster-Waldau (Game of Thrones)

Publicado por Aléxis Perri

06/03/2022 11:00

Poucas vezes um título adaptado do original foi tão bem utilizado. Contra o Gelo da Netflix já definiu de forma clara que o inimigo aqui é o gelo!

Contudo, pensemos, quando o maior adversário e conflito de toda uma trama dramática é apenas, e exclusivamente, o frio. Ficamos com muito pouco com o que nos envolver nessa história, não?!

Continua depois da publicidade

Sim, existem algumas intenções aqui de fazer desta obra, um algo a mais que só uma produção do tipo sobrevivência. Porém, para que isso tivesse tido algum efeito seria necessário que a dupla principal que está lutando pelas suas vidas, realmente sentissem que existe uma batalha interna acontecendo para que pudessem sonhar com um dia seguinte milhares de quilômetros distante do infernal frio ártico.

Lamentavelmente, apenas metade deste duo realmente deixou alguma coisa mais marcante para o assinante da plataforma Netflix. Foi com Nikolaj Coster-Waldau – mundialmente conhecido como Jaime Lannister de Game of Thrones – que tivemos algo minimamente mais atraente em Contra o Gelo. Agora, seu parceiro congelante Joe Cole (Peaky Blinders; Green Room; Olhos da Justiça), definitivamente, foi tão gelado quanto o branco das nevascas mortais.

Baseado na história real contada em ‘Two Against the Ice’ por Ejnar Mikkelsen, acompanhamos a luta por sobrevivência que em 1909, viu o explorador e capitão dinamarquês Ejnar Mikkelsen (Nikolaj Coster-Waldau) organizar uma expedição na Ilha de Shannon, no leste da Groenlândia, para recuperar os registros dos membros desaparecidos da malfadada expedição dinamarquesa. Depois que sua primeira tentativa não obteve sucesso, observamos que o único que se colocou à disposição para acompanhá-lo em sua segunda tentativa foi o mecânico Iver Iversen (Joe Cole), enquanto o resto da tripulação ficou para trás. Como será que o par de desbravadores vão lidar com o congelamento ártico nessa expedição e tentar voltar para casa sãos e salvos e inteiros?

Que friaca, mermão!

Existe uma ironia muito grande pela narrativa de Contra o Gelo, uma vez que o filme foi baseado em uma obra intitulada ‘Two Against the Ice’, que no traduzido significa ‘Dois Contra o Gelo’. Todavia, após os créditos finais da produção original Netflix terão a sensação que apresentaram uma história de apenas um (!) homem em total conflito. Não apenas com o gelo, mas acima de tudo com suas próprias crenças, assim como sua sanidade, enquanto completamente isolados de tudo e todos.

O ator de origem dinamarquesa e 51 anos de idade Nikolaj Coster-Waldau é a única força viva da natureza relacionável nesse conto de sobrevivência, de modo que tivemos algo ainda mais vital nesta obra dirigida pelo também dinamarquês Peter Flinth: toda a geada que embranqueceu às paisagens islandesas e groenlandesas, escolhidas para as filmagens deste longa-metragem da Netflix.

Tirando o belíssimo cenário vistos em Contra o Gelo, não podemos afirmar que teremos muito mais para aproveitar ou tirar de tal história, que se revelou uma narrativa muito fria e distante, especificamente pela ausência de conflitos que verdadeiramente movimentassem o nosso emocional.

Isso aconteceu, em especial, pela falta de sintonia entre os atores em destaque.

É mais que natural em situações como esta, observarmos uma combinação de personalidades que não harmoniza com naturalidade, mas que aos poucos vai homogeneizando em certas partes, tentando encontrar um eixo que movimente tal história adiante, assim como também aproximando o assinante da plataforma Netflix, ao ponto deste sentir-se envolvido emocionalmente com às durezas enfrentadas pelos personagens, tanto a nível externo quanto pessoais.

Entretanto, tivemos com o jovem ator inglês Joe Cole apenas uma forma de alienação que foi capaz de nos afastar quase que inteiramente desta trama baseada em fatos verídicos. Entristece dizer isso, mas Contra o Gelo da Netflix foi frieza demais para um só filme!

(Observação: Este filme é uma tortura daquelas bem doloridas para os amantes dos animais, especialmente aqueles que adoram cachorros)

Publicidade