A atriz americana Kristen Bell, conhecida por seu papel como a detetive Veronica Mars na série e no filme-continuação, falou pela primeira vez de sua luta contra a depressão em um artigo de sua autoria publicado na revista TIME – leia na íntegra aqui.

Bell começa o texto dizendo que não quis falar sobre isso nas “primeiras duas décadas” de sua carreira, mas nesse ponto de sua vida não considera que o assunto deva ser tabu. Segundo ela, foi sua mãe, uma enfermeira que também avia sofrido com a doença, que a avisou dos perigos da depressão.

Mila Kunis e Kristen Bell são mães que gostam de farra em novo filme


“Ela me disse que se eu começasse a sentir que estava distorcendo as coisas ao meu redor, ou que não havia luz ao meu redor, ou que eu estava paralisada de medo, isso era depressão, e era assim que eu poderia lidar com ela”, escreve.

“Depressão não é tristeza. Não é como ter um dia ruim e precisar de um abraço. O que a depressão me deu foi um completo senso de isolamento e solidão. Sua debilitação é completa, e a doença simplesmente deligou algo dentro da minha cabeça. Eu me senti sem valor nenhum, como se eu não tivesse nada a oferecer”, continua.

Bell, que dublou a princesa Anna em Frozen, criticou o estigma que a depressão carrega, e citou uma pesquisa que aponta que 20% dos adultos americanos são portadores da doença. “É um instinto terrível o de julgar as pessoas quando elas estão vulneráveis. Mas não há nenhuma fraqueza na luta dessa pessoas contra doenças mentais”, declarou.

iZombie | Kristen Bell vai participar de segunda temporada