Depois de Meryl Streep, outro proeminente astro de Hollywood, George Clooney, usou uma premiação para criticar o atual presidente dos EUA, Donald Trump.

Em um discurso no palco do César Awards, o equivalente ao Oscar francês, nesta sexta-feira (24), Clooney afirmou: “Enquanto estamos aqui hoje, o mundo está passando por algumas mudanças bastante importantes, nem todas para melhor”.

“Como cidadãos do mundo, vamos ter de trabalhar mais e mais para não deixar o ódio ganhar”, continuou o ator, que recebeu um prêmio honorário pela carreira. “O amor triunfa sobre o ódio, a coragem supera o medo e os atrozes”.


O ator Jean Dujardin, vencedor do Oscar por O Artista e que estava no palco com Clooney para traduzir seu discurso para o público francês, acrescentou em suas próprias palavras: “Donald Trump é perigoso para o mundo”.

Entre outras declarações de Clooney parafraseadas livremente por Dujardin estavam:

Clooney: “O amor triunfa sobre o ódio.”
Dujardin: “Trump ama o ódio.”
Clooney: “A coragem ama o medo.”
Dujardin: “Trump está com medo.”
Clooney: “O certo sempre triunfa sobre o errado.”
Dujardin: “Trump é sempre errado.”

Mas o ator francês parou de intervir na tradução quando George Clooney voltou a falar sério:

“Não devemos confundir dissidência com deslealdade. Não devemos andar com medo uns dos outros. Não devemos ser guiados pelo medo para uma era de insensatez. Se mergulharmos profundamente em nossa história e nos lembrarmos de que não somos descendentes de pessoas temíveis, nós nos proclamamos defensores da liberdade onde quer que ela continue a existir no mundo. Mas não podemos defender a liberdade em terras estrangeiras, abandonando-a em casa. As ações deste presidente causaram alarme e consternação entre nossos aliados no exterior e deram considerável conforto aos nossos inimigos, e de quem é a culpa? Não é dele. Ele não criou essa situação de medo, ele simplesmente a explorou – e com bastante sucesso. Cassius estava certo: A culpa, querido Brutus, não reside em nossas estrelas, mas em nós mesmos”, concluiu.

Veja no vídeo o momento em que Clooney e Dujardin transformam o César Awards em protesto político: