Pelo visto, O Diabo Não Veste Prada… ou Chanel. Na véspera do Oscar, Maryl Streep se envolveu em uma polêmica com o estilista Karl Lagerfeld, da Chanel, por causa do vestido que usará na cerimônia, neste domingo (26).

Segundo Lagerfeld, a atriz, indicada ao Oscar este ano por Florence: Quem é Essa Mulher?, cobrou ele para fazer o vestido, mas Streep nega, e agora acusa o famoso estilista de “difamação”.

“Em referência à fala do Sr. Lagerfeld, não há qualquer controvérsia: um designer de sucesso, Karl Lagerfeld difamou em uma grande revista [Woman’s Wear Daily] não só a mim, mas também ao meu estilista e à marca que produziu o vestido que escolhi utilizar”, disse Streep em comunicado, acrescentando que não vai deixar a história passar batido e quer uma retratação pública.


“A publicação imprimiu essa difamação sem apuração. A história acabou correndo o mundo, eclipsando a minha aparição no Oscar, quando estarei celebrando o recorde de 20 indicações recebidas”, continua. “Não vou deixar isso barato e o Sr. Lagerfeld vai se arrepender de sua declaração genérica. Ele mentiu, a mentira foi impressa e ainda estou esperando por um pedido de desculpas”, finalizou.

Lagerfeld inicialmente afirmou à revista que Meryl Streep a dispensou mesmo após ele ter iniciado a confecção do vestido por ter encontrado alguém que daria seu figurino para o Oscar de graça.

“Fiz um rascunho e começamos a criar. Depois ela pediu que parássemos a criação por ter encontrado alguém que iria pagar para fazer o vestido dela. Demos a ela um vestido que custa 100 mil euros e depois descobrimos que precisaríamos pagar. Damos vestidos, mas não pagamos. Ela é uma atriz genial, mas mesquinha, não acha?”.

Depois da polêmica, Karl Lagerfeld de fato se retratou por seus comentários:

“Eu estou arrependido por essa controvérsia e desejo apenas o melhor para a Sra. Streep com sua 20ª indicação ao Oscar.