Coe, ou Gary de Chicago, de 59 anos, que roubou a cena no Oscar no último domingo ao lado de Jimmy Kimmel, tem um passado obscuro que foi mantido em segredo durante a cerimônia: ele passou 22 anos preso por tentativa de estupro.

O fato aconteceu ainda em 1994. Segundo o Daily Mail, após ser condenado, ele foi levado para uma prisão estadual ao norte de Bakersfield, Califórnia, especializada no tratamento psicológico dos detentos.

Coe conheceu sua futura noiva, Vickie Vines, atrás das grades, no mesmo período em que se tornou religioso. De fato, Denzel Washington declarou Coe e Vickie como marido e mulher em um casamento de brincadeira no palco da cerimônia. E tudo isso só foi possível porque Gary de Chicago foi liberado da prisão apenas três dias antes do Oscar.


Emma Stone sobre gafe do Oscar 2017: “Pior momento da minha vida”

Não há como saber se a organização do evento sabia que Gary de Chicago, que foi visto beijando a mão de Halle Berry e Nicole Kidman é, na verdade, um ex detento por agressão sexual.

Em entrevista à ABC, Gary demonstrou arrependimento. “É muito triste estar preso por 20 anos e não ser capaz de ser um pai para seus filhos ou um avô”, ele comentou. “E você sabe o que meu filho disse para mim hoje? Ele disse que estava orgulhoso de mim, e isso significa muito”, finalizou.

Oscar 2017 | Academia pede desculpas por erro e diz que tomará medidas apropriadas

Oscar 2017 | “Foi o final mais estranho da TV desde Lost”, diz Jimmy Kimmel sobre erro histórico