Charlie Chaplin provavelmente seria barrado nos EUA de hoje, diz Robert De Niro

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em evento beneficente realizado no Lincoln Center, em Nova York, na última segunda-feira (8), Robert De Niro declarou que um artista como Charles Chaplin provavelmente seria barrado nos Estados Unidos atualmente, segundo a Deadline.

De Niro recebeu o prêmio “Chaplin Award” da Film Society of Lincoln Center. A imagem do artista imigrante caiu como uma luva para ilustrar as críticas do ator às políticas conservadoras e nacionalistas do presidente Donald Trump, tanto em relação às artes quanto à imigração.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

De Niro, que já interpretou Don Corleone nos cinemas, questionou também as medidas de Trump em relação à saúde pública e fez referência aos comentários depreciativos twitados pelo presidente sobre Meryl Streep.

Quando De Niro lembrou que Chaplin foi um imigrante, foi ovacionado pela plateia do evento. O célebre intérprete de Carlitos encontrou nos Estados Unidos do início do século XX as oportunidades que o levariam a realizar algumas das maiores obras-primas da história do cinema.

“Todos nós no cinema – diretores, atores, roteiristas, equipe, público – devemos a Charlie Chaplin, um imigrante que provavelmente hoje não passaria pelo veto extremo. Espero que não estejamos barrando o próximo Charlie Chaplin”, declarou.

Vale lembrar que, em 1952, já consagrado como um gênio, Chaplin chegou a ser impedido de voltar aos Estados Unidos, após uma viagem à Inglaterra, por alegações de apoio ao comunismo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio