Nicole Kidman pede por mais mulheres na direção e cita dado alarmante

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A atriz Nicole Kidman foi o principal destaque do Festival de Cannes 2017. Presente em três filmes, O Estranho que Nós Amamos, The Killing of a Sacred Deer e How to Talk to Girls at Parties, além de uma série Top of the Lake: China Girl, a atriz deu uma entrevista falando sobre o novo e elogiado filme de Sofia Coppola.

“Apenas 4% de mulheres dirigiram filmes em 2016. Isto diz tudo! É algo importante a dizer e que precisa continuar a ser dito. Por sorte, temos Jane Campion e Sofia Coppola aqui. Nós, como mulheres, temos que dar suporte a elas como diretoras. Todos dizem que hoje as coisas são diferentes, mas não são. Basta olhar as estatísticas”, disse a atriz.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Baseado no livro de Thomas P. Cullinan, o romance de 1971 situado na Guerra Civil e estrelado por Clint Eastwood, gira em torno de um soldado ianque ferido, que é levado para um internato feminino confederado e sua presença causa uma verdadeira revolução no lugar, despertando sentimentos de luxúria, ciúmes e ódio nas mulheres sexualmente reprimidas de lá.

Kidman é a diretora do colégio; Kirsten Dunst, uma das professoras; Elle Fanning e Rice são alunas da instituição e Collin Farrell é o soldado ferido. O filme estreia no dia 23 de junho de 2017.

Sofia Coppola, Roman Coppola e Youree Henley produzem o filme, que será distribuído pela Focus.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio