A família de Cathriona White, que cometeu suicídio em 2015, está mentindo quando diz que Jim Carrey passou doenças sexualmente transmissíveis para a maquiadora e acabou levando-a ao suicídio. É o que clama o advogado do ator, Raymond Boucher, em declaração oficial.

“Uma mão cheia de advogados tem a coragem de representar pessoas [como a família de White] que estão dispostas a fazer acusações falsas ou enganadoras desenhadas para extorquir dinheiro de celebridades bem sucedidas. Esses advogados forçam as celebridades a fazerem acordos a fim de que as acusações não cheguem ao público”, escreve Boucher.

Ele não fala só do processo da família de White contra Carrey, que tramita na justiça americana nesse momento. Segundo Boucher, a própria White tentou extorquir Carrey anos atrás com a ajuda do advogado da família. Filippo Marchino. Em 2013, eles ameaçaram ir à imprensa com alegações de que Carrey havia passado herpes para White.


“Nessa época, White e Marchino sabiam que a acusação era falsa, e que a mera alegação iria impactar a carreira de Jim”, escreve Boucher (via THR). “Ao invés de se engajar em uma batalha judicial feia e custosa, Jim, como muitos em sua posição, sucumbiu às exigências e pagou o dinheiro pedido por White e seu advogado”.

O ator culpa o suicídio de White nos pais da moça, que encabeçam a ação contra ele. Segundo o advogado de Carrey, White já havia tentado suicídio anteriormente e nem os pais nem o terapeuta da moça ouviram suas reclamações. White faleceu em 2015.