Harvey Weinstein, um dos produtores mais famosos da indústria cinematográfica mundial, foi recentemente expulso da sua própria empresa, que fundou com seu irmão, a Weinstein’s Company. O conselhos dos diretores organizou uma votação há algumas horas, que resultou na quase unanimidade para a expulsão de Harvey.

Porém, ironicamente, descobriu-se que a mesma empresa legalizava seus abusos sexuais em contrato. De acordo com o TMZ, um contrato da Weinstein Company chegou ao conhecimento da mídia, e lá dizia que Harvey não poderia ser demitido por assédio sexual.

De acordo com o contrato, se ele tratasse alguém de forma indevida, ele teria que reembolsar a empresa, mas não seria demitido. Ainda era explicitado que ele teria que pagar US$ 250 mil no primeiro assédio, e depois o valor iria subindo.


Mais de dois terços do grupo votaram pela expulsão de Harvey.