A lista de mulheres que acusam o produtor Harvey Weinstein de assédio sexual continua crescendo – entre as famosas, vale destacar nomes como Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow, Asia Argento, Mira Sorvino, Rose McGowan e Cara Delevingne.

A mais recente adição a esse grupo é Léa Seydoux, atriz francesa conhecida pelos papeis em Azul é a Cor Mais Quente e 007 Contra Spectre.

Em declaração oficial ao The Guardian, Seydouz escreveu: “Nós estávamos conversando em um sofá quando ele de repente se jogou em cima de mim e tentou me beijar. Eu tentei me defender. Ele é grande e gordo, então eu tive que achar forças para afastá-lo. Eu saí do local, completamente enojada. Não tinha medo dele, eu sabia que tipo de homem ele era”.


“Eu vi a forma como ele fazia com as outras mulheres. Ele procurava por uma abertura, e as testava para saber se ele conseguiria escapar com algum avanço sexual. Eu estive em jantarem com ele nos quais ele abertamente falou sobre as estrelas de Hollywood com as quais fez sexo. Ele me disse muitas coisas misóginas com o passar dos anos. Me disse para perder peso”, contou ainda.