O diretor e roteirista James Toback, conhecido por seu trabalho em filmes como Bugsy, está enfrentando mais uma acusação de assédio sexual após veementemente negar aquelas levantadas por mais de 300 mulheres em entrevista à Rolling Stone.

Na entrevista, Toback chamou suas acusadoras de “vadias mentirosas”. Agora, a atriz Caterina Scorsone, conhecida como a Dra. Amelia Shepherd de Grey’s Anatomy, sentiu que deveria corroborar a história de suas companheiras de produção.

“Em resposta à negação de James Toback na Rolling Stone, eu me sinto no dever de fazer isso”, escreveu no Instagram. “Eu quero deixar claro que o diretor de cinema que eu identifico no artigo que escrevi 17 anos atrás era James Toback. Muitas pessoas da indústria sabiam disso e me encorajaram a ficar calada. Eu não fiquei, e isso afetou minha carreira. Eu estou do lado das mulheres que foram corajosas o bastante para contar suas histórias. Também estou do lado das mulheres não sentem que podem fazer o mesmo, mesmo agora. Vamos jogar luz em todos os cantos mais escuros”.


In response to James Toback’s crass denial in Rolling Stone, I feel I must corroborate the stories of these women. I want to be clear that the predatory director I wrote about in the article I posted a few days back, was James Toback. The article was written 17 years ago. Many industry people knew about it and encouraged me to stay silent. I didn’t, and it directly affected my career. I stand with all the women who were brave enough to tell their stories. I also stand with all the women who don’t feel that they can speak up, even now. Let’s shine light into all the darkest corners. #metoo @rollingstone @hillelaron

Uma publicação compartilhada por CaterinaScorsone (@caterinascorsone) em

No artigo que ela cita, Scorsone conta sua história de assédio sexual: “Depois que ele foi publicado, eu saí dessa indústria. Eu era apenas uma adolescente. Eu acabei voltando a atuar como adulta, suportada por showrunners como Shonra Rhimes”, escreve.

Selma Blair, Rachel McAdams e Julianne Moore estão entre as mulheres que contaram histórias de assédio sexual relacionadas a Toback.