Informações vazadas da Corte Penal Internacional pelo The Sunday Times revelaram que o ex-procurador-chefe da Corte, o argentino Luis Moreno Ocampo, buscava utilizar da ajuda de algumas estrelas de Hollywood para resolve conflitos internacionais. Um desses astros era a atriz Angelina Jolie, a qual Ocampo queria utilizar como isca para prender o criminoso de guerra africano Joseph Kony.

Ocampo teria recrutado Jolie há mais ou menos 5 anos, e pretendia que ela e o então marido Brad Pitt se unissem às forças especiais norte-americanas para prender Kony na República Centro-Africana. “Esqueça outras celebridades, ela é a única. Ela gostaria de prender Kony. Ela está pronta. Provavelmente Brad também irá” dizia uma mensagem de Ocampo.

“Brad está sendo solidário. Vamos discutir a logística. Muito amor, beijos” respondeu Jolie, que segundo informações, pretendia atrair o criminoso com um jantar. Acontece que Ocampo acabou ficando vidrado na atriz, que parou de responder suas mensagens, enquanto o procurador enviava para ela juras de amor.


Ocampo também havia entrado em contato com Sean Penn, para que ele investigasse conflitos na Palestina; e com George Clooney, o qual o procurador queria a ajuda para controlar satélites na Líbia.