Produtor Harvey Weinstein, de Pulp Fiction e Shakespeare Apaixonado, é acusado de assédio sexual por atriz

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O super produtor Harvey Weinstein, uma lenda de Hollywood que ajudou filmes como Pulp Fiction (1994), Shakespeare Apaixonado (1998) e Gangues de Nova York (2002), entre inúmeros ouros, a ganharem os cinemas, foi acusado por “dúzias” de funcionárias de assédio sexual.

A reportagem-bomba do The New York Times foi publicana nessa quinta (05), e traz uma resposta de Weinstein, que admite problemas com seu comportamento.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Não me escapa o fato de que a forma como me comportei com colegas no passado causou muita dor, e eu sinceramente peço desculpas por isso. Estou tentando ser melhor, mas tenho um longo caminho a percorrer”, disse Weinstein.

A atriz Ashley Judd (Divergente) é uma dessas mulheres. Em 2015, ela citou em entrevista que havia sido assediada por um “mega produtor não nomeado”, e agora admitiu que se trata de Weinstein para o The New York Times.

Judd conta que foi chamada a um hotel com Weinstein para o que ela acreditava ser um café da manhã de negócios. Ao invés disso, o produtor a levou para seu quarto e apareceu com um roupão, perguntando se ela queria vê-lo tomando banho.

“Como eu saio daquele quarto o mais rápido possível sem alienar alguém tão poderoso quanto Harvey Weinstein?”, relembra a atriz.

Outra das acusadoras é a atriz Rose McGowan, da série Charmed. Weinstein vai se afastar temporariamente de suas funções na Weinstein Company, que toca ao lado do irmão Bob Weinstein.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio