Roman Polanski quebra silêncio sobre caso de estupro: “Isso já acabou”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O diretor Roman Polanski quebrou o silêncio sobre o caso de estupro que acompanha sua vida e carreira desde 1977, quando foi acusado por Samantha Gailey de drogá-la e abusá-la sexualmente. Na época, Polanski se declarou culpado e passou 42 dias na cadeia.

No entanto, um ano depois, um novo juiz olhou para o caso e reconsiderou a sentença – sabendo que arriscava passar até 50 anos na cadeia, Polanski fugiu dos EUA e tem vivido na Europa desde então. A vítima fez diversos apelos para a justiça a fim de que o caso fosse arquivado.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Como você sabe, Samantha Gailey tem pedido há mais de 30 anos para que isso acabe. Eu sinto muito que os juízes que lidaram com esse caso 40 anos atrás eram corruptos e estavam encobrindo um ao outro. Eu não acho que eles vão parar de tentar me prender”, conta Polanski em entrevista ao THR.

“Quando ao que eu fiz: Isso já acabou. Eu me declarei culpado. Eu fui para a cadeia. Eu voltei para os EUA para servir meu tempo, as pessoas esquecem disso, ou não sabem disso. Então eu fiquei trancado aqui em Zurique após um festival. Eu fiz 4 ou 5 vezes mais do que me foi prometido no primeiro julgamento”, diz ainda.

 

O advogado de Polanski, Harland Braun, apareceu no mais recente julgamento no lugar de seu cliente. Polanski foi então condenado a 334 dias de prisão, que ele cumpriu em uma junção do tempo que passou na cadeia nos EUA e em prisão domiciliar na Suíça.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio