As acusações contra Harvey Weinstein, antigo presidente da Weinstein Company, colocou a empresa do produtor em uma péssima situação.

Para amenizar o problema, um grupo de 30 trabalhadores selecionados da Weinstein Company assinaram um declaração publicada pelo The New Yorker, afirmando que não conheciam a conduta do produtor. “Nós não sabíamos que trabalhávamos para um predador sexual” diz o comunicado.

Na declaração, que é assinada de forma conjunta e não individual pelos trabalhadores, eles afirmam que as atitudes de Weinstein violam seus contratos, que asseguravam a eles um local de trabalho seguro e sabem que estarão quebrando outros termos de seus contratos ao fazer tal declaração.