Bob Weinstein pagou R$ 2 milhões para “calar” vítimas de assédio do irmão Harvey

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma nova reportagem do The New Yorker, assinada por Ronan Farrow, mesmo repórter que revelou as primeiras acusações de assédio contra Harvey Weinstein, detalha o papel do irmão do acusado, Bob Weinstein, no caso.

Segundo Farrow, Bob retirou em torno de 250 mil libras de sua conta pessoal em 1998 para pagar acordos de confidencialidade com duas das vítimas de seu irmão. A quantia equivale a quase R$ 2 milhões se corrigida com os juros dos últimos 19 anos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na época, os dois irmãos tocavam a Miramax, predecessora da The Weinstein Company, companhia de produção comandada apenas por Bob Weinstein atualmente (Harvey foi demitido após as acusações virem a tona).

A Miramax, por sua vez, era filiada à Disney, então comandada por Michael Eisner. Segundo uma das mulheres que alega ter recebido o pagamento de Bob Weinstein, o produtor disse que alertar a Disney sobre os casos contra o irmão era “inútil”.

“Bob disse que Michael Eisner não dava a mínima para essa m*rda, nas palavras dele”, conta Zelda Perkins, ex-assistente de Harvey.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio