“Ele era um monstro repulsivo”, conta ex-assistente pessoal de Harvey Weinstein em entrevista

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Zelda Perkins, assistente pessoal de Harvey Weinstein, apareceu na televisão para uma entrevista, detalhando como o trabalho que tinha foi um trauma na sua vida.

Nessa terça-feira (19), em entrevista ao canal BBC, Perkins falou sobre seu relacionamento com Harvey Weinstein, e depois contou sobre um acordo não oficial que ela assinou em 1998, depois de acusar Weinstein de estupra-la na Miramax. O “silêncio” foi comprado por 125 mil dólares.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O incidente aconteceu durante o Festival Cinema de Veneza, quando Weinstein tentou estuprar uma colega de trabalho de Perkins, que depois confessou a ela o caso. Zelda ficou sentida pelo evento e tentou levar Weinstein à julgamento, mas encontrou barreiras legais.

“A única forma que poderíamos chegar à mesa da Miramax era pedindo dinheiro. Eu percebi que a única arma, a única coisa que eu tinha para prevenir o comportamento de Harvey era criar um acordo que dificultava tudo. A única forma que eu poderia aceitar o fato de que o dinheiro trocaria de mãos era se déssemos uma quantia enorme”, contou Zelda.

Perkins disse que o processo legal a faliu e que deixou a indústria do entretenimento para trabalhar com cavalos na América do Sul. Sobre Weinstein e seu comportamento, ela disse: “Ele colocou muita energia em fazer as mulheres se submeterem, e de homens a se submeterem. Ele é um monstro repulsivo”.

Confira a entrevista completa, em inglês, a seguir:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio