Viúva de Philip Seymour Hoffman diz que ator voltou a usar heroína “meses antes” de morrer

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mimi O’Donnell, viúva do ator Philip Seymour Hoffman, se abriu sobre os últimos dias de vida do parceiro, falecido em 2014, através de um novo ensaio para a Vogue.

“Assim que Phil voltou a usar heroína, eu senti que ia acontecer, e fiquei aterrorizada”, escreve ela. “Eu disse para ele: ‘Você vai morrer. É isso que acontece com usuários de heroína’. Todos os dias eu morria de preocupação. Todas as noites, quando ele saía, eu me perguntava: Será que vou ver ele de novo?”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O’Donnell conta que uma prescrição de remédios fortes levou Hoffman a voltar ao vício em heroína, e que após uma estadia na reabilitação o casal decidiu que o ator sairia da casa da família para não alarmar os filhos (Cooper, 14 anos; Tallulah, 11; e Willa, 9). As crianças foram visitar o pai em sua segunda estadia na clínica.

Aaron Sorkin diz que ligação da falecida Carrie Fisher o incentivou a largar as drogas

“Nós sentamos na sala de visitas, e eles perguntaram coisas para ele. Phil respondeu com sua sinceridade de sempre. Ele nunca disse que estava usando heroína, mas disse o bastante para que eles entendessem, e eles ficaram muito felizes em vê-lo. Foi difícil ir embora, porque eles me perguntavam por que o papai não poderia vir com a gente”, continua O’Donnell.

“Tudo aconteceu tão rápido [no dia de sua morte]”, relembra ainda. “Phil chegou em casa, e eu liguei para algumas pessoas, dizendo que deveríamos ficar de olho nele. Três dias depois, ele estava morto. Eu estava esperando que isso acontecesse desde que ele voltou a usar a droga, mas quando aconteceu isso me atingiu com uma força bruta. Eu nunca poderia estar preparada”.

Hoffman, vencedor do Oscar por Capote (2006), tinha apenas 46 anos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio