Charlie Sheen e o tabloide The National Enquirer chegaram a uma decisão em conjunto para a batalha legal que travavam há tempos.

Segundo informações do TMZ, ambas as partas concluíram que o processo aberto sob alegação de difamação possa ser resolvido em um acordo. No final de 2017, Charlie processou o veículo por uma história publicada, no qual diziam que o ator abusou sexualmente de Corey Haim, ator já falecido quando ele tinha 13 anos de idade.

Em crise, Charlie Sheen põe mansão de R$ 30 milhões a venda


O caso teria acontecido no set de filmagens de A Inocência do Primeiro Amor, de 1986. Charlie negou a história e a mãe do garoto também afirmou que não passava de uma mentira.

Os documentos apresentados na corte de Los Angeles no final de semana do dia 17 de março, os advogados de Sheen entraram com um recurso, pedindo que o processo fosse retirado, o que parece ter sido concluído com uma negociação financeira.