Um poema assinado pelo ator Sean Penn, no epílogo de seu livro Bob Honey Who Just Do Stuff, parece defender acusados de assédio e estupro em Hollywood, citando por nome o comediante Louis C.K. e o jornalista Charlie Rose.

Sean Penn revela “amar muito” Madonna, sua ex-esposa

Segue tradução livre:


“Apesar de mulheres guerreiras
Bravamente tomarem a ação
Derivativos da desproporção
Trazem horríveis hipócritas
Para a sua matilha
Onde estão todas as risadas?
Você está aí, Louis C.K.?
Conversas que um dia foram cruciais
Nos mantem nas pontas dos pés;
Era mesmo do nosso interesse
Derrubar Charlie Rose?
E qual é a desse ‘Me Too’?
O termino infantilizado do dia
Essa é a cruzada de um infante?
Reduzir estupro, bullying e lutas femininas a uma brincadeira de criança inconsequente?
Uma plataforma para impunidade de acusação?
O processo judicial perdeu o brilho?
Mas que se f*da, por que me preocupar?
Eu sou um herói,
Para a Time Magazine!”

O poema se refere, no final, à escolha da Time de premiar a sua tradicional “pessoa do ano” aos artistas e trabalhadores de outras áreas que denunciaram assédio durante 2017.