Advogado de Morgan Freeman exige retratação de reportagem denunciando assédio

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O advogado de Morgan Freeman exigiu, via e-mal, que a emissora CNN faça uma retratação de sua reportagem trazendo acusações de assédio sexual contra o ator.

Freeman contratou a firma de advogados Irell & Manella, que enviou e-mail exigindo a retratação e implicando que, caso ela não aconteça, um processo está a caminho contra o veículo de comunicação.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Namorado é condenado por matar neta de Morgan Freeman a facadas

O caso começou com uma reportagem da CNN, que conversou com um total de 16 pessoas – oito mulheres que alegaram assédio de Freeman e oito que disseram testemunhar o comportamento descrito por elas. Saiba mais aqui.

O e-mail implica fortemente que a reportagem foi realizada em má fé pela jornalista Chloe Melas, que disse ter começado sua investigação sobre Freeman após entrevistá-lo na turnê de imprensa de Despedida em Grande Estilo (2015), onde o ator supostamente teria feito vários comentários derrogatórios e sexuais para ela.

Os advogados de Freeman ainda dizem que Melas, após essa suposta experiência, teria “incentivado testemunhas a dizer coisas ruins sobre o ator”, de forma que sua reportagem não é imparcial.

Por fim, eles ainda alegam que “várias das mulheres citadas na matéria já negaram suas declarações inciais, feitas sob pressão”, sem citar, no entanto, fontes que comprovem essa mudança de tom das supostas vítimas.

Enquanto Freeman se prepara para possíveis ações legais contra a CNN, ele pode se ver defendendo a reputação em um tribunal ainda antes – segundo notícias, algumas de suas acusadoras contrataram a mesma advogada do caso Harvey Weinstein.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio