Em visita ao Festival de Cannes 2018 para promover seu filme Wildlife, a estrela Carey Mulligan aproveitou para participar do evento Women in Motion nessa quarta (09), celebrando e discutindo os retratos femininos no cinema.

A estrela de O Grande Gatsby e Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississipi acha, por exemplo, que as personagens femininas do nosso cinema precisam ser retratadas como “mais falhas”.

“O que me incomoda é que as mulheres no cinema nunca podem cometer erros. Enquanto isso, os homens podem ser celebrados apesar de todas as duas falhas. É muito difícil você ver mulheres sendo infiéis no cinema, por exemplo”, comentou.


“Mulheres sendo infiéis acontece o tempo todo, tanto quanto homens infiéis. No entanto, não vemos isso no cinema, porque há uma noção de que ninguém quer ver isso no cinema”, continuou.

“Eu tive trabalhos em que, no livro em que o filme era baseado, minha personagem se comportava de forma bem moralmente ambígua ou desagradável. Nós chegamos a filmar essas cenas, mas elas sempre são cortadas no final das contas”, revelou ainda.

“No fim das contas, no entanto, se não mostramos nossas falhas, não mostramos quem somos de verdade”, completou.

Carey Mulligan diz que o cinema interpreta errado a ideia de “protagonistas femininas fortes”

O filme Wildlife, em que Mulligan contracena com Jake Gyllenhaal, conta uma dessas histórias das quais a estrela sente falta – aqui, ela atua como uma esposa que é infiel ao marido, levando à separação.

Paul Dano, conhecido como ator por papéis em Sangue Negro e Pequena Miss Sunshine, estreia na direção com o título, que ainda não tem data de estreia.