Jornalista Charlie Rose é acusado por mais 27 mulheres de assédio sexual

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Seis meses depois da demissão do jornalista Charlie Rose pela emissora americana CBS após acusações iniciais de assédio sexual, mais 27 mulheres aparecem em uma nova reportagem do The Washington Post contando histórias semelhantes.

Os incidentes alegados pelas testemunhas aconteceram entre 1976 e 2017, e segundo várias delas foram reportados diretamente para o departamento de recursos humanos da CBS, que não fez nada a respeito.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Cannes 2018 terá disque-denúncia para assédio sexual

Rose respondeu à história do The Wahington Post com uma nota que diz simplesmente: “Sua reportagem não é justa e está cheia de inexatidões”.

Os comportamentos descritos pelas mulheres na matéria vão de comentários de natureza sexual a toques não solicitados em regiões íntimas no ambiente de trabalho.

Joana Matthias, uma ex-assistente de pesquisa na CBS, alega que Rose “expôs o seu pênis e tocou em seus seios” durante uma viagem à trabalho que fizeram juntos para Washington, capital dos EUA.

Rose apresentou o CBS This Morning, principal programa de notícias da emissora, entre 2012 e 2017. Além disso, era anfitrião de seu próprio programa de entrevistas na emissora PBS, também cancelado.

 

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio