O novelista americano Philip Roth, autor de livros como Pastoral Americana, faleceu nessa terça (22) aos 85 anos. Amigos próximos do autor confirmaram a morte ao The New Yorker.

Em 1997, Roth venceu o Pulitzer na categoria ficção por sua obra Pastoral Americana, mais tarde interpretada para o cinema em filme com Ewan McGregor e Jennifer Connelly.

Sua obra se estende por cinco décadas de produção literária, começando com Adeus, Columbus (1959) e terminando com Nêmesis (2011), que ele anunciou que seria seu último trabalho na época do lançamento.


Morre Tom Wolfe, autor do clássico A Fogueira das Vaidades, aos 88

O autor se casou duas vezes: a primeira com Margaret Martinson Williams, de quem se divorciou pouco depois do começo de sua carreira, em 1963; e a segunda com a atriz Claire Bloom, em relação polêmica que ela detalhou em um livro (Leaving a Doll’s House) recheado de relatos do comportamento emocionalmente abusivo de Roth.

Além de Pastoral Americana, obras de Roth foram adaptadas para o cinema em filmes como Revelações (2003), com Nicole Kidman; Fatal (2009), com Penelope Cruz; O Último Ato (2014), com Al Pacino; e Indignação (2016), com Logan Lerman.