Uma mulher que se manteve anônima nos documentos judiciais está processando o cantor Chris Brown e um de seus melhores amigos, o rapper, Young Lo, por “negligência e comportamento agressivo”.

A acusadora, segundo a advogada Gloria Allred, foi chamada para uma festa no estúdio de gravação de Brown e Lo – lá, teve seu celular confiscado e “ganhou” uma pílula transparente cheia de pó branco, que ela deveria tomar para “se divertir mais” com os outros convidados.

Chris Brown é fotografado pegando mulher pelo pescoço em Miami


Allred ainda diz que sua cliente foi a única na festa que não tomou a pílula, e que ela se sentiu obrigada a ir para a casa de Brown depois da comemoração no estúdio, visto que seu celular continuava na posse dos seguranças dos músicos.

Na casa do cantor, a acusadora passou por “momentos terríveis em que foi sexualmente assediada e abusada”, cujos detalhes a advogada não quis divulgar para o público a fim de proteger sua cliente e o processo legal.

O advogado de Brown, Mark Geragos, respondeu à TMZ que as acusações são falsas e que a coletiva de imprensa de Allred sobre o caso “é um golpe baixo para conseguir mais dinheiro do que foi anteriormente pedido”.