O Festival de Cannes foi marcado no último sábado (12) por um protesto de 82 mulheres da indústria contra a desigualdade de gênero no indústria cinematográfica (saiba mais). Entre essas mulheres, estava a atriz Salma Hayek, que neste domingo (13), conversou com a Variety sobre o protesto e os problemas salariais que assolam Hollywood e toda a indústria do cinema.

“Foi muito significativo de muitas maneiras. Pessoalmente, como mulher que faz parte dessa comunidade e precisa lutar da mesma forma que essas mulheres, é um passo importante ver isso acontecer” disse Hayek ao relembrar do protesto.

Quando questionada sobre o problema das diferenças salariais, a atriz disse que as mulheres devem ser impacientes. “Continuem frustradas, sejam impaciente e paciente ao mesmo tempo. Você não pode tolerar, mas você tem que continuar com a pressão”.


“Deveríamos ter ficado com raiva antes. Mas do que com raiva, porque eu acho que já estamos furiosas. Nós deveríamos ter nos unido, porque é isso que faz a diferença, nós deveríamos ter nos unido mais cedo” completou a atriz.

Hayek está atualmente investindo na carreira de produtora e deve ter cerca de nove projetos focados em mulheres a serem produzidos nos próximos anos, incluindo quatro séries de televisão e cinco filmes.

Os melhores looks do Festival de Cannes 2018 até agora

Além de contar com diversas estreias de filmes bastante esperados e celebridades importantes, o Festival de Cannes este ano será o local de estreia do longa brasileira Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos, durante a mostra Un Certain Regard, a segunda mais importante do evento.