Ashley Judd e Gwyneth Paltrow falam da importância do movimento #MeToo nas suas vidas

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em diferentes entrevistas nessa semana, as atrizes Ashley Judd e Gwyneth Paltrow falaram da importância que o movimento #MeToo tem tido e como ele mudou muitas coisas na vida de ambas:

“Há alguns meses, eu estava dirigindo no Tennessee rural, ouvindo um relatório sobre o #MeToo no Parlamento russo. Eu fiquei maravilhada, sabendo que de alguma forma começou com a nossa conversa”, disse Judd, a primeira a acusar Harvey Weinstein de assédio sexual. “Fiz o que fiz porque era a coisa certa a fazer e confiei que as coisas se encaixariam. Todo mundo tem que tomar suas decisões, mas acho que podemos dizer com segurança que milhões de pessoas estão aqui para oferecer apoio e esperança. Ninguém pode fazer isso por mim, mas eu não preciso fazer isso sozinha”, falou a artista em entrevista ao The New York Times.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mesmo tendo recebido acusações de assédio, Michael Douglas diz que apoia o movimento #MeToo

Já Paltrow, que também alegou assédio por parte do produtor no início de sua carreira, revelou também ao jornal que ainda não ‘acredita’ ao ver Weinstein preso e caído:

“Há uma sensação incrível de união na comunidade feminina. [Muitas] mulheres não têm nada para aproveitar, para se protegerem. É por isso que me pareceu tão urgente e perturbador e me senti ingênua por não ter passado pelo exercício mental de postular a versão de uma mulher solteira tentando sobreviver”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio