Harvey Weinstein, mega produtor de Hollywood que foi o principal alvo das acusações de assédio sexual no final do ano passado, revelou em entrevista ao escritor Taki Theodoracopulos para o Spectator USA, que chegou a oferecer trabalho para atrizes em troca de ter relações sexuais com elas, e afirmou que trata-se de uma espécie de padrão em Hollywood.

“Você nasceu rico e privilegiado e bonito. Eu nasci pobre, feio, judeu e tive que lutar toda a minha vida para chegar a algum lugar. Você teve muitas garotas, nenhuma garota olhou para mim até que eu consegui sucesso em Hollywood. Sim, eu ofereci trabalhos a elas em troca de sexo, mas assim fez e ainda faz todo mundo. Mas eu nunca, nunca forcei uma única mulher a nada” declarou o produtor.

Theodoracopulos, que realizou a entrevista de forma exclusiva, chegou a falar sobre sua percepção de Weinstein, afirmando que acredita no produtor: “Me chame de ingênuo ou estúpido, mas de uma maneira engraçada eu acredito nele. Vi Harvey em ação durante minha festa de Natal anual, a que eu faço todos os anos em Nova York com Michael Mailer. Ele dá em cima de todas as mulheres jovens, mas de uma maneira ingênua.’Você vai me dar seu endereço e eu vou fazer de você uma estrela’, é geralmente a sua cantada”.


Após novas acusações de crimes sexuais, Harvey Weinstein pode passar resto da vida na prisão

Esta semana, Weinstein teve de enfrentar três novas acusações de assédio sexual em um tribunal de Nova York. O produtor, porém, se declarou inocente de todas as acusações (saiba mais).

Caso seja condenado como culpado, Weinstein pode pegar prisão perpétua. Além das três acusações, o produtor já respondia a outros três crimes anteriormente, incluindo estupros. A pena mínima estipulada para o acusado é de 10 anos.

O advogado do produtor, Benjamin Brafman, já havia adiantado que o suspeito tentará até o final manter o argumento de inocente. Brafman ainda afirmou que Weinstein alega que todos os casos foram consensuais.