Jim Carrey: “Meu plano não era me juntar a Hollywood, mas sim destruí-la”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Jim Carrey está prestes a retornar para TV com a série Kidding, nova comédia do Showtime. Na produção, o astro assume o protagonismo que teve outrora como em In Living Color, também na televisão, ou em filmes como Ace Ventura (1994), Todo Poderoso (2003) e O Show de Truman (1998).

Ao The Hollywood Reporter, no entanto, Jim Carrey revelou e mostrou que leva uma vida bem diferente de uma celebridade. Antes de Kidding, o ator estava afastado de Hollywood. As suas atividades eram pintar, esculpir e desenhar charges políticas.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Eu não queria estar mais nos negócios. Não gostava do que estava acontecendo, das corporações tomando conta de tudo. E talvez porque eu tenha me sentido atraído por outro escape criativo, eu realmente gosto do controle da pintura – não ter o comprometimento de alguém me dizer qual ideia deve ser apelada nos quadrantes ou outra qualquer coisa”, explicou Jim Carrey.

Kidding | Jim Carrey dorme com boneco em novo trailer da série da Showtime

O ator alcançou o estrelato quando participou de In Living Color, entre 1990 e 1994. No entanto, Jim Carrey nunca quis fazer parte do mundo de Hollywood como ele é.

“Meu plano não era me juntar a Hollywood, mas sim destruí-la. Algo como, dar uma marreta gigante para o protagonista e toda a seriedade”, revelou o astro.

Em Kidding, Jim Carrey interpretará o famoso ícone de um programa infantil, que tem sua vida virada de pernas para o ar após o declínio de seu império. Além de Carrey, Kidding conta com Frank Langella, Catherine Keener e Judy Greer. A direção é de Michel Gondrey, com quem o protagonista trabalhou em Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças.

Kidding estreia nos EUA, pela Showtime, em 9 de setembro.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio