Ao ser diagnosticado com Parkinson, em 1991, Michael J. Fox acabou se entregando à bebida, mas conseguiu abandonar o vício através do apoio de sua esposa. Pouco após, o ator passou a investir na pesquisa para curar o Parkinson e suas previsões sobre a cura são bem otimistas.

De acordo com o ator de De Volta para o Futuro, os pesquisadores irão alcançar uma importante marca nos próximos cinco anos.

“Seremos capazes de prever e parar o progresso da doença”, disse Fox à revista People.


Trata-se de um avanço considerável no combate à doença, desde que o ator criou a Fundação Michael J. Fox, em 2000. Nesse ponto, “o progresso estava basicamente parado”, revelou Deborah W. Brooks, co-fundadora e vice presidente executiva da fundação.

“Michael ter vindo à público com sua doença e fazendo ainda mais, reconhecendo que ele tinha um papel a desempenhar na comunidade de pacientes, além de direcionar o levantamento de fundos para a pesquisa sobre Parkinson, realmente fez a diferença”, continuou Brooks, sobre o impacto de Michael J. Fox na pesquisa.

O Dr. Steven Frucht, que trabalha com pesquisa sobre Parkinson e outros distúrbios motores, na NYU, concorda, dizendo que o financiamento da pesquisa, realizado por Fox, “teve um enorme impacto”.

“Não apenas seremos capazes de controlar os sintomas, como podemos desacelerar a doença, revertê-la e, no fim prevenir a doença”, disse Brooks.

Michael J. Fox já arrecadou mais de um bilhão de dólares para a pesquisa sobre Parkinson.