Depois que a Dra. Christine Blasey Ford testemunhou em frente ao comitê judiciário do Senado americano, na quinta-feira (27), Jemima Kirke (Maniac, Girls) compartilhou sua própria história de estupro nas mídias sociais (via PageSix).

“Ok, fod*-se. Quando eu tinha 22 anos, fui estuprada pelo meu traficante”, escreveu a atriz. “Depois de gentilmente pedir que ele fosse embora (eu não queria deixá-lo bravo), eu me arrastei até o hospital. Depois de vários testes de DST, o doutor disse simpaticamente, ‘você tem de começar a tomar mais cuidado’. Acredito que o que ele quis dizer foi, ‘isso poderia ser prevenido se você não estivesse andando com um traficante’. Parecia que a culpa foi minha e por isso não contei a ninguém e não fui à polícia”.

Maniac | Showrunner explica porque não haverá 2ª temporada


“Meu estupro não teve nada a ver com minhas escolhas. Traficantes não estupram as pessoas mais que homens de família”, continuou Kirke. “Os conselheiros da reabilitação não corrigiram essa linha de raciocínio. Minha própria mãe não corrigiu. Fod**-se todos que tiveram boas intenções, mas disseram que era um ‘sinal’ que eu precisava de ajuda”.

Por fim, a atriz concluiu, escrevendo:

“É provável que minha filha seja assediada sexualmente algum dia. Não posso prevenir isso. Ela não pode prevenir isso. Mas não importam as circunstâncias, não será culpa dela”.

O trabalho mais recente de Jemima Kirke foi em Maniac, que já está disponível na Netflix.