Ex-empregada de Michael Jackson, Grace Rwaramba saiu em defesa do falecido cantor após a exibição do documentário Deixando Neverland. Rwaramba trabalhou para Jackson e viveu sob seu mesmo teto por mais de uma década até ser demitida.

Em uma declaração fornecida à ABC, a mulher que trabalhou como babá dos filhos de Michael Jackson por anos declarou que simpatiza com as supostas vítimas caso os crimes realmente tenham acontecido, mas destacou que não acredita que seu antigo patrão fosse capaz disso.

“Se Michael abusou de Wade Robson e James Safechuck, eles têm minha mais profunda simpatia e compaixão. Eu não reivindico saber o que aconteceu entre Michael e seus acusadores. Eu não estava lá”, disse Rwaramba em seu comunicado.


“No entanto, já que Michael não está mais aqui para se defender, e porque eu tenho uma visão única dele e da vida que ele viveu, sinto-me obrigada a falar contra o que eu acredito firmemente serem falsas alegações. A pessoa que Wade e James descrevem não é a pessoa que eu conhecia”, ela acrescentou.

“Ele confiava em todos a ponto de ser extremamente ingênuo, sempre tendo as melhores intenções. Ele estava longe de ser perfeito, mas em meus mais de doze anos morando com Michael, conhecendo ele e seu estilo de vida intimamente, nunca vi ou experimentei nada que me levasse a acreditar que ele era capaz de abusar sexualmente das crianças.”

A ex-babá afirmou ainda que o rancho Neverland tinha um “exército” de funcionários por todos os cantos, então não acredita que Jackson teria sido capaz de abusar das crianças sem que alguém soubesse o que estava acontecendo.

“Eu estava em Neverland quando muitos dos amigos da família iam e vinham. Em todo momento, entre 60 e 100 funcionários trabalhavam em segurança, manutenção, limpeza, jardins, cozinha e muitos outros papéis. Manter o rancho de forma tão imaculada levou todo um exército de trabalhadores que sempre estavam por perto.”

Ela também falou sobre a época em que Wade Robson, um dos acusadores de Jackson, e sua mãe, Joy, visitariam Neverland.

“Ao longo dos anos, conheci bem os Robson enquanto eles visitavam o rancho em muitas ocasiões diferentes. Neverland era um lugar encantador onde os mordomos, cozinheiros, camareiras, funcionários do zoológico, jardineiros e outros funcionários faziam com que todos os hóspedes se sentissem como a realeza, e todos que tiveram a sorte de visitar o rancho adoraram!”

“A única coisa que foi consistente sobre os Robson ao longo dos anos foi a determinação de Joy em transformar Wade em uma estrela”, ela continuou. “Enquanto todas as outras crianças, muitas vezes incluindo Michael, estavam tendo brigas de balão de água ou assistindo a um filme no cinema, Joy forçava Wade a fazer passos de dança e de vez em quando acenava para Michael para pedir algumas dicas.”

Leaving Neverland | Fãs protestam em sede do canal que exibirá documentário no Reino Unido

O documentário conta a seguinte história: “No auge de seu estrelato, Michael Jackson começou relacionamentos duradouros com dois garotos de 7 e 10 anos e suas famílias. Agora com 30 anos, eles contam a história de como foram abusados ​​sexualmente por Jackson e como chegaram a um acordo para ficarem calados anos depois.”

Ações judiciais movidas por Robson e Safechuck contra Jackson foram rejeitadas por um juiz em Los Angeles em 2017.

Deixando Neverland será exibido no Brasil em duas partes na HBO, nos dias 16 e 17 de março.