Filha de Lori Loughlin é atacada em redes sociais após comprar vaga em universidade

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A filha de 19 anos de Lori Loughlin (Três é Demais) vem recebendo inúmeras críticas nas redes sociais após ser descoberta em um esquema de compra de vagas em universidades dos EUA. Olivia Jade Giannulli e a sua irmã teriam adquirido vagas na USC, por mais de US$ 500 mil.

A jovem, que tem um canal de maquiagem e moda no Youtube e conta com mais de 1,3 milhão de seguidores no Instagram, viu a sua conta virar palco de ataques, críticas e piadas. A principal acusação é de que Olivia Jade estava roubando a vaga de alguém que tinha se esforçado para entrar na faculdade.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“A Olivia só está ocupando espaço e é provavelmente uma idiota que não fez nenhum esforço para estar no lugar de pessoas que merecem muito mais”, atacou um seguidor.

“Eu estou no aguardo de um pedido de desculpas público por parte de você e da sua mãe”, pediu outro.

“Ser tão rica e cheia de privilégios quanto essa perdedora e ainda assim tão imbecil evidencia como a nossa sociedade está errada”, observou uma terceira pessoa.

O excesso de publicações fez com que a garota de 19 anos bloqueasse os comentários no Instagram. Ao mesmo tempo, Lori Loughlin, aos 54 anos, estaria pronta para se entregar para autoridades federais após o escândalo.

Felicity Huffman e Lori Loughlin são presas por compra de vagas em universidades

Vale lembrar que o nome da atriz Felicity Huffman (American Crime) também foi citado nas investigações, assim como o de outras 50 pessoas, conforme publicação da ABC.

Documentos descobertos pela mídia mostram que os suspeitos foram presos sob acusações de terem pago subornos de até US$ 6 milhões para colocar seus filhos em algumas das melhores universidades dos Estados Unidos, como Yale, Stanford e outras.

Dentro do esquema, os filhos dos investigados foram inscritos nas universidades como atletas recrutados, muito embora não tivessem capacidades atléticas de fato.

Dezenas de treinadores da divisão de futebol americano universitário também estão sendo investigados por sua participação no esquema.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio