Aaron Carter, músico e ex-astro infantil, revelou que pretende contar detalhes sobre suas experiências no rancho Neverland, propriedade de Michael Jackson frequentada por Carter na infância.

Carter, agora com 31 anos e no ostracismo, afirma que vai contar tudo sobre seu relacionamento com o Rei do Pop em um futuro projeto.

“Para ser honesto, após ver a história de todo mundo vir à tona, eu confesso ter sido um pouco agressivo quando falei pela primeira vez sobre o tema”, declarou Carter.


Aaron Carter também afirmou, em entrevista ao site TMZ, que sua experiência pode ser diferente das relatadas nos últimos meses.

“Cada um tem a sua própria história e sua própria experiência e eu preciso aceitar isso. Aliás, sobre essa questão, na verdade eu tenho a minha própria experiência com o Michael e vou falar sobre isso em breve”, declarou.

Acusações de pedofilia envolvendo Michael Jackson ressurgiram com o lançamento do documentário Deixando Neverland.

O documentário conta a seguinte história: “No auge de seu estrelato, Michael Jackson começou relacionamentos duradouros com dois garotos de 7 e 10 anos e suas famílias. Agora com 30 anos, eles contam a história de como foram abusados ​​sexualmente por Jackson e como chegaram a um acordo para ficarem calados anos depois.”

As novas declarações de Carter diferem de seu primeiro posicionamento sobre o documentário. No mês passado, ele reagiu com agressividade ao ser confrontado por um perfil no Twitter, alegadamente de Wade Robson, um dos acusadores de Michael Jackson, que afirmava que Carter sabia dos supostos crimes do Rei do Pop.

“Minha vontade era socar você no rosto. Eu perguntaria se você está dizendo a verdade, mas antes daria um soco em você. Você está pisando no túmulo de um ícone, de uma lenda”, esbravejou Carter.

Ações judiciais movidas por Robson e Safechuck contra Jackson foram rejeitadas por um juiz em Los Angeles em 2017.