Um mês depois de a HBO ter lançado o explosivo documentário de duas partes, Deixando Neverland, a família de Michael Jackson revidou com um documentário próprio.

Dirigido por Eli Pedraza e lançado no YouTube, o documentário Neverland Firsthand: Investigating the Michael Jackson Documentary pretende refutar as alegações de Wade Robson e James Safechuck, que alegam que foram abusados sexualmente por Jackson quando ainda eram crianças.

O cantor, que morreu em junho de 2009, repetidamente negou as acusações antes de sua morte, e em 2005 foi absolvido em um caso de abuso sexual contra crianças na Califórnia.


O novo documentário de 30 minutos traz entrevistas com o sobrinho de Michael, Taj Jackson, e sobrinha Brandi Jackson, bem como com seu diretor técnico de longa data, Brad Sundberg, que praticamente morou no Rancho Neverland durante anos.

“Nem em um milhão de anos eu vi uma criança em volta de Michael Jackson que parecia ter sido angustiada, magoada ou abusada”, disse Sundberg em uma entrevista com o produtor Liam McEwan (via Yahoo!). “Neverland era um lugar muito pacífico, seguro e divertido.”

Brandi revelou que ela e Robson namoraram por sete anos. “Ele sempre foi um oportunista”, disparou, antes de alegar que Robson inventou as alegações de abuso sexual em um esforço para ganhar dinheiro. “Ele sabe como se posicionar em situações diferentes que podem beneficiá-lo financeiramente.”

Brandi acrescentou: “Ele está dizendo que tinha um relacionamento com meu tio, que estavam apaixonados, ou o que quer que seja. Ele diz que meu tio o manteve longe das mulheres, o que não é verdade. Meu tio nos uniu. Isto desmente as coisas que ele está tentando comprovar, e acho fascinante que pense que é capaz de simplesmente apagar dez anos de sua vida.”

Um advogado de Robson respondeu às alegações de Brandi em um comunicado à Billboard: “A Senhora Jackson não estava com Wade e Michael Jackson quando o abuso sexual ocorreu, portanto não tem nada relevante a acrescentar sobre o assunto.”

Taj Jackson afirma que a generosidade de Michael Jackson fez dele um alvo para ações judiciais ao longo dos anos. “Quando você é muito generoso, as pessoas tentam se aproveitar disso”, comentou.

Assista ao documentário na íntegra mais abaixo.

O documentário conta a seguinte história: “No auge de seu estrelato, Michael Jackson começou relacionamentos duradouros com dois garotos de 7 e 10 anos e suas famílias. Agora com 30 anos, eles contam a história de como foram abusados ​​sexualmente por Jackson e como chegaram a um acordo para ficarem calados anos depois.”

Ações judiciais movidas por Robson e Safechuck contra Jackson foram rejeitadas por um juiz em Los Angeles em 2017.