Ruby Rose vai estrelar a vindoura série da Batwoman, na CW, assumindo também um dos primeiros papéis de heroínas assumidamente homossexuais da indústria.

Em entrevista para a Entertainment Weekly, Rose falou sobre o preconceito e reação negativa que recebeu ao se identificar como lésbica, sendo que a atriz é na realidade não-binária.

“Eu vim para os EUA para ser atriz, e eu nem consegui um agente ou empresário, então fiz um curta-metragem baseado na minha vida porque tive tempo. Eu coloquei na internet, só pra mostrar que era algo que eu queria fazer’, e acabou viralizando de forma que eu não esperava. E aí tive a oportunidade de fazer teste em Orange is the New Black, pois queriam uma personagem de gênero neutro. Mas eu também tive preconceito. E é quando você percebe que precisa usar a terminologia. Quando eu fui escalada para ser uma lésbica em Batwoman, eu não sabia que, sendo mulher não-binária significava que eu não podia ser lésbica, pois não sou mulher – não considerada lésbica”, explica Rose.


“Kate Kane (Ruby Rose) nunca planejou ser uma vigilante de Gotham. Três anos depois do Batman desaparecer misteriosamente, Gotham é uma cidade em desespero. Sem o Cavaleiro das Trevas, o Departamento de Polícia foi superado e desarmado pelos bandidos. Assim entra Jacob Kane (Dougray Scott) e a sua empresa de segurança privada Crows, que protege a cidade. Anos antes, a primeira esposa e filha de Jacob foram mortas em um tiroteio. Ele mandou a sua única filha, Kate, para longe de Gotham para sobreviver. Depois de ser dispensada da escola militar e de anos de treinamento brutal pela sobrevivência, Kate volta para casa quando a gangue Alice no País das Maravilhas ataca a Crows, ao sequestrar a melhor agente, Sophie Moore (Meagan Tandy).

Apesar de ter casado novamente, com a socialite Catherine Hamilton-Kane (Elizabeth Anweis), que mantém a Crows, Jacob ainda luta com a perda da família, enquanto mantém Kate distante. Mas, Kate é uma mulher que não pede mais permissão. Para ajudar a família e a sua cidade, ela vai se tornar algo que o pai odeia – uma vigilante. Com a ajuda da sua meia-irmã Mary (Nicole Kang) e Luke Fox (Camrus Johnson), filho de Lucius Fox, Kate continuará o legado do primo desaparecido, Bruce. Ainda tendo uma paixão pela ex-namorada, Sophie, Kate fará de tudo para combater a terrível Alice (Rachel Skarsten), que está em algum lugar entre a sanidade e a loucura. Armada com uma paixão pela justiça social e o dom de falar o que pensa, Kate vigiará as escuras ruas de Gotham como a Batwoman. Mas, não chame ela de heroína ainda. Em uma cidade desesperada por um salvador, ela deve primeiro vencer os próprios demônios para ser chamada de símbolo de esperança de Gotham”, afirma a sinopse.

A série da Batwoman estreia no segundo semestre de 2019, ainda sem data específica de lançamento.