Estão de volta! Brad Pitt e Angelina Jolie retomam briga judicial pelos filhos

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ainda não está tudo bem entre a vida divorciada de Angelina Jolie e Brad Pitt, mesmo três anos depois que eles anunciaram sua separação e ordenadamente dividiram os fãs em dois lados, de acordo com o The Blast. Embora inicialmente, o mundo parecesse estar do lado trágico de Angelina Jolie, as coisas começaram a balançar a favor de Pitt, especialmente quando se descobriu que muitas das acusações de Jolie contra o marido eram de fato infundadas.

Quando Jolie abriu o processo de divórcio contra Pitt, foi com acusações contra ele de ser abusivo em relação ao filho mais velho, Maddox. Mais tarde, depois que as autoridades liberaram Pitt de qualquer irregularidade, as negociações de custódia começaram a portas fechadas, com um juiz particular.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No entanto, três anos se passaram e as coisas ainda não chegaram a um ponto. Enquanto isso, Maddox já cresceu aos 18 anos, então a batalha pela custódia não é mais sobre ele, mas os cinco filhos mais novos.

Agora, trata-se da custódia de Pax, Zahara, Shiloh, Vivienne e Knox, dos quais Pax e Zahara foram adotados da Etiópia e do Vietnã, enquanto os três últimos são filhos biológicos de Jolie e Pitt. A alegação apresentada por Jolie em 3 de março contém informações limitadas, o que significa que, mesmo agora, o público não tem acesso ao que acontece por trás de portas fechadas da batalha de custódia entre Brad Pitt e Angelina Jolie, que foi polêmica.

Como as coisas mudam na vida dos ricos e famosos!

No final de 2018, parecia que Pitt e Jolie haviam chegado a algum tipo de contrato de custódia temporário, mas um último, em papeis, ainda está para ser alcançado. No entanto, esta foi a primeira vez em mais de um ano que o caso voltou ao tribunal.

Juntamente com os acordos de custódia, bem como o apoio à criança, o casal também precisará trabalhar para alienar e dividir seus ativos, como a vinícola Miraval, de US$ 60 milhões, que eles compraram em 2011.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio