Penélope Cruz e Winona Ryder deram seu apoio a Johnny Depp em seu processo de difamação contra a ex-esposa Amber Heard.

Ambas as mulheres apresentaram declarações em nome de Depp, que processou Heard em 2019 depois de escrever um artigo para o Washington Post, no qual ela se caracterizou como vítima de abuso doméstico, de acordo com documentos judiciais obtidos pela People.

“Estou ciente das alegações de violência que foram feitas publicamente nos últimos anos pela ex-esposa de Johnny Depp, Amber Heard”, Ryder, que teve um relacionamento de quase quatro anos com Depp, escreveu nos documentos, que foram relatados pelo The Blast.


“Não quero chamar ninguém de mentiroso, mas pela minha experiência com Johnny, é impossível acreditar que tais alegações horríveis sejam verdadeiras. Conhecendo-o como eu conheço, acho isso extremamente perturbador”, acrescentou.

A estrela de Stranger Things fez comentários semelhantes em 2016, quando disse à TIME que Depp “nunca foi abusivo” durante o relacionamento, que começou em 1990. O casal ficou noivo cinco meses após o primeiro encontro, mas eles se separaram em 1993.

“Eu o conheço apenas como um cara muito bom, amoroso e carinhoso, que é muito, muito protetor com as pessoas que ele ama”, disse ela na época.

O que diz Penélope Cruz

Em sua própria declaração, Cruz escreveu que nunca testemunhou Depp, que conheceu quando tinha 19 anos, se envolvendo em comportamento violento.

“Muitos anos se passaram e eu não só fiz 3 filmes com ele, mas também conto com ele como um grande amigo. Sempre fiquei impressionada com sua gentileza, sua mente brilhante, seu talento e seu peculiar senso de humor”, escreveu ela nos documentos do tribunal.

Um representante de Amber Heard não respondeu ao pedido de comentário feito pela imprensa norte-americana.