Harvey Weinstein sugeriu morte de Jennifer Aniston ao saber de possível acusação

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Muitas coisas foram reveladas sobre Harvey Weinstein e sua experiência com mulheres na indústria de Hollywood durante o recente processo judicial do ex-magnata. Sabemos que Weinstein foi considerado culpado por cometer um ato sexual criminoso envolvendo uma mulher, sem falar em centenas de outras acusações de estupro e assédio.

No entanto, as evidências relacionadas ao caso ainda estão surgindo e agora uma nova troca de e-mails trouxe Jennifer Aniston (Friends) para o caso.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como Jennifer Aniston se conecta ao caso de Harvey Weinstein

Para entender como Jennifer Aniston se conecta a Harvey Weinstein, precisamos voltar a 2005, quando o National Enquirer planejava publicar uma história relacionada a Harvey Weinstein, alegando que o produtor havia assediado sexualmente a atriz de Friends.

Sallie Hofmeister, executiva sênior da Sitrick, na época, enviou a Harvey Weinstein um e-mail sobre a história do National Enquirer, ao qual Weinstein respondeu: “Jen Aniston devia ser assassinada.”

Embora o comentário pareça pouco, ainda é uma janela para a mente do produtor por volta de 2005 e se relaciona com as famosas com as quais ele entrava em contato todos os dias. Na época, o artigo não foi publicado e Jennifer Aniston não acusou o produtor de nada relacionado a assédio ou agressão sexual.

Então, como sabemos sobre o e-mail?

O Page Six informou sobre os documentos, observando na época que a troca de e-mails era de 2005, mas havia sido incluída em um conjunto de documentos que foram tornados públicos depois que Harvey Weinstein foi considerado culpado em seu recente processo judicial.

Os advogados do produtor até tentaram conseguir uma pena menor. Mas, pelos crimes, Harvey Weinstein ficará 23 anos em uma prisão nos Estados Unidos.

O que Jennifer Aniston disse sobre Harvey Weinstein

Anteriormente, a atriz Jennifer Aniston não estava super envolvida no caso de Harvey Weinstein. No entanto, quando o movimento #MeToo ainda estava em seu começo, Jennifer Aniston falou sobre sua experiência com o chefão de Hollywood, observando que Weinstein foi insistente em fazê-la usar um vestido da Marchesa, marca de sua agora ex-esposa, em um evento.

Ela disse à Variety anteriormente: “Lembro-me exatamente de quando a linha de roupas de sua ex-esposa, Marchesa, estava começando. Foi quando ele veio me visitar em Londres enquanto gravávamos. Ele me disse que queria que eu usasse um daqueles vestidos na estreia do filme. Não era para mim, mas ele continuava insistindo. Foi tipo um bullying. E eu ficava recusando.”

O evento ocorreu quando Jennifer Aniston estava na turnê de Fora de Rumo, um filme que ela filmou com Clive Owen para a empresa de Harvey Weinstein, também em 2005. Ela se manteve firme e, no fim das contas, não usou o vestido da Marchesa, e foi a única vez que acusou Harvey Weinstein de qualquer tipo de bullying.

Como nota de rodapé, Marchesa é uma marca administrada pela ex-mulher de Harvey Weinstein, Georgina Chapman. Outros relatórios indicaram que Weinstein pressionava as estrelas para manter a marca como a favorita do tapete vermelho do Oscar.

Anteriormente, Felicity Huffman (que está enfrentando seus próprios problemas legais) e outras confirmaram que só usavam porque eram pressionadas pelo produtor.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio