Lori Loughlin, atriz de Fuller House, deve passar dois meses na cadeia por causa do escândalo de compras de vagas em universidades dos Estados Unidos. A informação foi divulgada pelo escritório do procurador de Massachusetts.

Para NBC, o escritório informou que Lori Loughlin e o marido Mossimo Giannulli vão admitir culpa no escândalo. Porém, os dois terão penas diferentes.

A atriz de Fuller House admitirá culpa em esquema de fraude. Com isso, pegará uma sentença de dois meses, com multa de US$ 150 mil.


Além disso, a atriz da Netflix fica em liberdade supervisionada por 2 anos, em que tem que avisar todas ações dela para o governo. Ao ser solta, Lori Loughlin também terá que fazer 100 horas de serviços comunitários.

Enquanto isso, o marido dela ficará cinco meses na cadeia. Giannulli se declarará culpado em dois tipos de fraude, o que aumenta a pena dele.

A multa do marido da atriz de Fuller House é de US$ 250 mil. Além de ter os mesmos dois anos de liberdade supervisionada, Giannulli terá 250 horas de serviços comunitários.

Caso polêmico com atriz de Fuller House

Lori Loughlin se envolveu no esquema escandaloso ao subornar a Universidade da Carolina do Sul com US$ 500 mil. A atriz de Fuller House e o marido queriam garantir uma vaga para uma das filhas deles.

Com o dinheiro, a famosa tinha comprado uma vaga destinada para atletas de remo. O esporte não é praticado por nenhuma das filhas da atriz de Fuller House.

Inicialmente, Lori Loughlin e o marido negaram que tivessem subornado a instituição. A primeira defesa do casal foi de que era uma doação legítima – o que parece ter mudado agora.

Felicity Huffman, conhecida por Desperate Housewives, também esteve no mesmo esquema. Porém, a atriz se declarou culpada antes e passou 11 dias na prisão, além de ter um ano de liberdade supervisionada e 230 horas de serviços comunitários.

Em Fuller House, Lori Loughlin foi a tia Becky. A série está disponível na Netflix.