A estrela de Supergirl, Nicole Maines, que interpreta a primeira super-heroína trans em live-action, Sonhadora, respondeu aos recentes comentários transfóbicos de J.K. Rowling, autora de Harry Potter, em uma nova carta à imprensa.

“O cerne do movimento e do argumento trans-excludente baseia-se na ideia de que as mulheres trans são uma ameaça à segurança das mulheres cis e que, ao nos permitir existir em espaços públicos e nos permitir participar da sociedade, estamos tirando os direitos de outras mulheres”, Maines começou em seu ensaio divulgado pela Variety.

A partir daí, ela se lembrou de suas próprias experiências como trans no ensino médio e desmontou os argumentos anti-trans de Rowling.


Resposta à J.K. Rowling

Em resposta à alegação de Rowling de que banheiros e vestiários são inseguros depois de abertos à comunidade trans, Maines escreveu: “Não é um problema completo: nos 20 estados e em aproximadamente 200 cidades que têm políticas de gênero, descobrimos que não há maior impacto negativo na segurança pública, permitindo que as pessoas trans utilizem as instalações que correspondem à sua identidade de gênero.”

“Achei surpreendente que ela tenha dito que estava fazendo toda essa pesquisa e conversando com psiquiatras e membros da comunidade”, continuou Maines.

“Primeiro, eu adoraria ver os recibos. Segundo, acho que ela está realizando pesquisas de maneira bastante tendenciosa, porque concluí que a grande maioria do mundo da medicina discorda de sua linha de pensamento.”

“Eu tive que passar por anos de terapia e aconselhamento antes de poder alterar meu marcador de gênero em minha identidade. Adquiri duas cartas de recomendação por dois psicólogos diferentes. Fui questionada por todos na minha vida sobre se eu me conhecia ou não”, lembrou.

“Ninguém passa por todo esse questionamento sobre toda a sua identidade para entrar no banheiro para ter um completo estranho que diga: ‘Ei, você não pode estar aqui. Você é apenas alguém que decidiu que quer ser uma garota um dia.'”

Mesmo assim, Maines ainda é fã de Harry Potter: “Os comentários de Rowling falam contra a própria mensagem de seus livros – sobre ser mais forte juntos, sobre inclusão, sobre autodescoberta, coragem e triunfo sobre a adversidade. Eu ainda sou fã, e vou lhes dizer o porquê: porque esses livros e suas mensagens ainda existem, e Rowling não pode tirar isso de nós. Ninguém pode tirar isso de nós, e esse mundo realmente pertence aos fãs agora. Ninguém pode mudar se isso o ajudou a se descobrir. Isso pertence a você.”

“Eu acho que é realmente importante reconhecer e falar sobre isso. Em um momento em que estamos testemunhando uma mudança histórica na luta para acabar com a opressão contra vidas negras, ela escolheu agora atacar identidades trans e usar sua plataforma gigantesca para essa discussão. O movimento trans e o movimento Black Lives Matter compartilham uma luta semelhante em nossas batalhas para nos sentirmos seguros em nossos corpos e em nossa pele, quando outras pessoas determinam que somos de alguma forma dignos de ser tratados como menos do que isso.”

“Constantemente temos que tentar explicar às pessoas, em termos cada vez mais simples, que somos merecedores de direitos humanos, que somos merecedores de nos sentir tão seguros quanto eles. E é sobre isso que deveríamos estar falando, Garota J.K. Participe”, ela concluiu.

Supergirl voltará com sua sexta temporada em janeiro de 2021.