A criadora de Harry Potter iniciou uma polêmica na internet ao fazer comentários transfóbicos em uma de suas redes sociais. J. K. Rowling deixou muitos fãs bravos e decepcionados com suas declarações.

A controvérsia começou quando a autora citou uma manchete do site Devex, que usava a frase “pessoas que menstruam”. Ela deu a entender que apenas mulheres (cis) entrariam nessa definição, excluindo homens trans e pessoas não-binárias. Você pode conferir os tweets abaixo.

O resultado foi uma série de respostas de um público irritado, acusando-a de ser uma TERF, ou Trans Exclusive Radical Feminista (feminista radical trans-excludente, em tradução livre). Não é a primeira vez que o assunto é levantado pelos fãs.


J. K. Rowling continuou a defender sua posição, afirmando que havia estudado o assunto nos últimos três anos e que “conhece e ama pessoas trans”, mas discorda com o apagamento do conceito de sexo biológico. Muitos fãs apontaram que ela ignora que a ideia de gênero ser diferente de sexo não é o mesmo que “apagar”.

Inúmeros famosos e instituições se pronunciaram contra os tweets de J. K. Rowling, inclusive GLAAD, uma das maiores entidades pró-LGBT do mundo. Além de se posicionar contra a escritora de Harry Potter, o perfil indicou organizações de apoio a pessoas trans negras.

Atriz que interpretou Cho Chang faz post sobre polêmica

A autora também teve várias controvérsias antigas reacendidas. Entre elas, o modo racista com o qual a personagem Cho Chang foi percebida na saga Harry Potter, principalmente por ter seguido esteriótipos normalmente aplicados a asiáticos.

Fãs pediram para que a intérprete de Cho, Katie Leung, desse suas opiniões sobre o assunto. Ela respondeu com um fio no Twitter que levava os internautas às páginas de doações para apoiar pessoas trans negras. Veja abaixo.