O processo de Johnny Depp contra o NGN, empresa dona do jornal britânico The Sun, continua.

Johnny Depp está processando o NGN em razão da matéria do jornal The Sun, que o chamou de “espancador de mulheres”, em razão das alegações de Amber Heard, que acusa o ex-marido de tê-la agredido.

Naturalmente que Johnny Depp nega as acusações e o tem feito há anos, mas recentemente surgiram evidências contra o ator, obtidas pela equipe jurídica do NGN.


Os advogados do NGN divulgaram trocas de mensagens entre o celular de Johnny Depp e um assistente.

As mensagens revelam Depp pedindo por “pílulas de alegria” e “coisa branca”, nos dias antes da briga em que Depp teria agredido Amber Heard.

As evidências se acumulam

Johnny Depp admitiu o uso de drogas, mas o fato de sua equipe jurídica não ter entregado essa evidência representa uma grande derrota para o ator no julgamento.

Isso se dá pois havia sido determinado que Johnny Depp e seus representantes deveriam ter entregado toda e qualquer evidência relacionada ao caso de antemão. A equipe do ator, no entanto, falhou ao entregar esse material.

O juiz não chegou a determinar que o processo de Johnny Depp contra o NGN seria anulado, mas as evidências estão contra o ator.

A próxima sessão do julgamento ocorrerá em 7 de julho de 2020.

Além desse caso, Johnny Depp processa Amber Heard por suposta difamação.

Johnny Depp e Amber Heard foram casados entre 2015 e 2017. O relacionamento teria acabado justamente após as agressões supostamente cometidas por Johnny Depp.