O ator e comediante Bryan Callen, que trabalhou em filmes como Coringa e Se Beber, Não Case!, foi acusado de assédio sexual por quatro mulheres.

O Los Angeles Times divulgou as acusações, quando Katherine Fiore Tigerman, Rachel Green, Tiffany King e Claire Gansher publicaram declarações sobre suas experiências com o ator.

Callen negou veementemente todas as alegações em uma declaração ao jornal: “Deixe-me ser muito claro: nunca estuprei nem assediei nenhuma mulher. Nunca. Eu sei a verdade.”


“E só consigo manter a cabeça erguida, permanecer fiel a mim mesmo, à minha família, ao meu público e saber que não permitirei que a cultura de cancelamento subverta o que eu sei e, o que é mais importante, o que eles sabem que é a verdade.”

Sérias acusações

Tigerman alega que o ator, de 53 anos, a estuprou em seu quarto depois de uma noitada em 1999.

Ela ligou para sua melhor amiga e seu então namorado mais tarde naquela noite. Os dois corroboraram sua alegação ao Los Angeles Times.

Tigerman afirmou que não foi à polícia porque a ideia de um exame de violação parecia fisicamente invasiva.

Mais tarde, a atriz contou a seu agora marido, Gabriel Tigerman, e sua colega Jenny Wade sobre o suposto incidente.

Rachel Green, que era funcionária da American Apparel em 2009, afirmou ao jornal que ele emergiu de um provador vestindo apenas uma cueca inúmeras vezes.

Ele supostamente retornou à loja no dia seguinte e solicitou a ajuda de Green novamente enquanto experimentava uma cueca de natação e supostamente a empurrou contra a parede e beijou seu pescoço.

Green afirmou que afastou Callen e desceu as escadas para contar imediatamente aos colegas de trabalho o que havia acontecido.

A barista Claire Ganshert conheceu Bryan Callen em 2012 e eles teriam começado um relacionamento que terminou em 2016.

Ela alegou que não sabia que ele era casado com Amanda Humphrey (que pediu o divórcio recentemente).

Ganshert disse ao jornal: “Houve momentos tão intensos em que parecia que ele estava realmente me procurando apenas por minha sexualidade e meu corpo. Agora, vejo isso pelo que era.”

“Eu não sou uma vítima, mas vou defender qualquer garota de 23 anos dizendo que um homem de 45 anos deveria ter agido de outra maneira.”

Além de Coringa e Se Beber, Não Case!, Bryan Callen também apareceu em filmes como Policial em Apuros, Dias Incríveis e Papai Noel às Avessas.