Brad Pitt e Angelina Jolie se separaram em 2016. Porém, na justiça, o divórcio é um tanto diferente.

Legalmente, os dois conseguiram voltar ao estado civil de solteiros. Mesmo assim, todo o divórcio ainda não está finalizado.

Por conta disso, rumores colocam uma possível volta do romance. De fato, Angelina Jolie e Brad Pitt nunca confirmaram qualquer relação oficial após o término do casamento.


Porém, a verdade pode ser outra. A demora para finalizar o divórcio parece envolver outras questões.

A principal são os filhos do casal. Brad Pitt e Angelina Jolie são pais de Shiloh, Maddox, Vivienne, Zahara, Pax e Knox.

O divórcio de Brad Pitt e Angelina Jolie

Inicialmente, a demora do divórcio teve uma razão conhecida. Brad Pitt e Angelina Jolie chegaram a brigar pela guarda dos filhos.

As crianças ficaram com a mãe, mas o ator não desistiu e queria ter mais tempo com os filhos. Depois de anos de disputa, finalmente parecem ter chegado a um acordo – que levou Brad Pitt a se mudar perto da casa de Angelina Jolie em Los Angeles (EUA).

A mudança, de acordo com veículos como a US Weekly, tem ligação com o tratamento feito por Brad Pitt. O astro admitiu a luta contra o alcoolismo e teria entrado em outra fase da vida dele, o que impressionou Angelina Jolie.

Com isso, o foco passou a ser o bem-estar das crianças. Os pais famosos teriam começado a ter uma relação cordial para cuidarem bem dos filhos.

Porém, o divórcio continua. As informações são de que o acordo voltou a sofrer um atraso por causa da pandemia do coronavírus (COVID-19).

Além disso, Angelina Jolie parece lembrar bem do motivo da separação. Em junho de 2020, a celebridade contou para Vogue que terminou o casamento com Brad Pitt pelo “bem-estar” dos filhos.

Publicamente, os atores não comentaram mais como está o andamento da separação.