J.K. Rowling tem causado muita controvérsia nas redes sociais em razão de seus comentários considerados transfóbicos. Agora, a autora de Harry Potter agradeceu por uma carta assinada pelo dramaturgo Tom Stoppard e Frances Barber, dentre outras 56 pessoas, defendendo Rowling.

A carta foi elaborada em resposta à hashtag #RIPJKRowling (descanse em paz J.K. Rowling), que estava nos trending topics no Twitter. Basicamente é uma forma de demonstrar que as pessoas se cansaram da postura da autora.

O texto das 58 pessoas diz que Rowling é vítima de “uma tendência insidiosa, autoritária e misógina nas redes sociais”, dizendo que esse é “apenas o exemplo mais recente de discurso de ódio dirigido contra ela e outras mulheres que o Twitter e outras plataformas permitem e endossam implicitamente”.


 “Estamos assinando esta carta na esperança de que, se mais pessoas se posicionarem contra o ataque a mulheres online, podemos pelo menos tornar menos aceitável se envolver ou lucrar com isso”.

Em resposta no Twitter, a autora de Harry Potter escreveu:

“Meu fim de semana foi pesado (no melhor sentido!) com a família e leve em ler notícias, então só percebi esta manhã que esta carta apareceu no Sunday Times ontem”.

“Estou profundamente grata a todos os signatários, não apenas em um nível pessoal, (embora acredite em mim, eu sou EXTREMAMENTE grata nesse nível), mas porque os apoiadores estão mostrando solidariedade com todas as mulheres que estão se manifestando atualmente pelos seus próprios direitos e enfrentando ameaças de violência e até morte em troca”, continuou a autora.

“Esta é também uma oportunidade de expressar minha gratidão mais uma vez às milhares de pessoas que me enviaram e-mails pessoais e cartas de apoio. Estou tentando responder a todas elas, então, por favor, me perdoe se ainda não cheguei à sua!”, escreveu J.K. Rowling.

Veja o tuite da autora de Harry Potter, abaixo.

Propaganda de loja transfóbica

Recentemente, em publicação no Twitter, J.K Rowling fez propaganda de uma loja abertamente transfóbica.

A autora fez propaganda da loja em dois tuites vinculados um ao outro, chegando a colocar o link da loja. Ao acessar a página, vemos logo na home claras demonstração de preconceito à pessoas transgênero (especialmente mulheres).

Dentre os produtos vendidos na loja, vemos itens com os dizeres transfóbicos:

“Ideologia trans apaga mulheres”, “mulheres trans são homens” e a caneca com os dizeres: “notória transfóbica”. Isso além de outros absurdos.

No tuite original, J.K. Rowling escreveu:

“Algumas vezes uma camiseta simplesmente dialoga com você (da loja Wild Womyn Workshop, caso você conheça uma bruxa que queira uma”, escreveu a autora junto da foto de uma camisa com os dizeres “essa bruxa não queima”.

No tuite seguinte, a autora de Harry Potter escreveu:

“Se você é (ou conhece) uma bruxa que queira uma dessas, não compre de enganadores. Eu comprei minha camiseta da Wild Womyn”.

Considerando que os itens com dizeres transfóbicos estão presentes na home do site da loja, é bastante improvável que J.K. Rowling não tenha visto tais produtos.

Veja os prints da página e o tuite de J.K. Rowling. O tuite original, no momento da publicação desta matéria, ainda está no ar, mas pode vir a ser apagado pela autora de Harry Potter.