O comediante Bryan Callen, que trabalhou em Coringa, acredita que o marido de sua acusadora de estupro está travando uma guerra para destruir seu sustento como ator e comediante por meio de intimidação… assim ele afirmou em um novo processo.

O ator de Coringa está processando Gabriel Tigerman, marido de Kathryn Fiore Tigerman, que recentemente acusou publicamente Callen de estuprá-la em 1999.

Callen afirmou que desde que as acusações vieram à tona, Gabriel está em pé de guerra para destruir sua carreira por meio de ameaças, assédio e intimidação de qualquer pessoa que se atreva a contratá-lo.


Grande polêmica

De acordo com documentos legais, obtidos pela TMZ, o ator de Coringa afirmou que Gabriel contatou seus representantes na agência de talentos CAA e perguntou se eles ainda representavam Callen à luz das alegações, sugerindo que fazer isso enviaria uma “mensagem às vítimas de que esse comportamento é aceitável”.

Callen disse que o e-mail dizia: “Vocês da CAA ainda representam esse predador sexual em série? Espero que a resposta seja não.”

Além do mais, Callen afirmou que Gabriel chegou ao ponto de entrar em contato com clubes de comédia e tentou fazer com que o demitissem.

Ele afirmou que alguns clubes de comédia cortaram relações com ele depois que Gabriel os procurou.

Callen negou veementemente as afirmações de Kathryn e afirmou que os esforços de Gabriel prejudicaram seriamente sua carreira. Ele está processando Gabriel por danos não especificados.

Além de Coringa, Bryan Callen também trabalhou em filmes como Se Beber, Não Case!, Dias Incríveis e Papai Noel às Avessas.

No Brasil, Coringa, que foi estrelado por Joaquin Phoenix, está agora disponível no HBO Go.