Freddie Mercury, do Queen, nasceu como Farrokh Bulsara na Tanzânia. Poucos fãs sabem, mas desde cedo o astro da música já começou a mudar o próprio nome.

Ainda durante a juventude, na escola, o então Farrokh adotou o nome de Freddie. O nome artístico completo só viria a ser formado anos mais tarde.

Em entrevistas, como divulgado pelo Metal HeadZone, o guitarrista do Queen, Brian May, contou sobre a história do nome do falecido amigo. Quando a banda foi formada, Freddie achava que precisava de um nome “ideal para uma estrela do rock”.


Freddie foi encontrar o sobrenome ideal na música My Fairy King, que ele mesmo escreveu em 1973. A letra inclui a passagem que tem “Mother Mercury“.

Brian relembra que a “Mother” (ou mãe) da música era inspirada na sua. Assim, adotou o nome completo de Freddie Mercury.

Como citado anteriormente, o guitarrista garante que tudo foi feito apenas por conta da carreira escolhida pelo músico.

O último desejo de Freddie Mercury

O assistente de Freddie Mercury, Peter Freestone, revelou qual foi o último pedido do popstar antes de sua passagem.

De acordo com Freestone, Freddie pediu em suas horas derradeiras um último tour pela casa que tanto amava.

“Freddie estava no andar de baixo de Garden Lodge em 20 de novembro, e ele queria ver suas obras de arte pela última vez”, contou o assistente.

Muito debilitado para andar sozinho, Freddie foi carregado por seu guarda costas em uma última visita aos cômodos de sua casa.

“Ele comentava sobre quando e como conseguiu comprar algumas das peças”, afirmou Freestone.

Freddie Mercury faleceu em 24 de novembro de 1991, em Londres.